20 brincadeiras de Verão

brincar_bebe

Você se lembra de como aguardava as férias ansiosamente, louca pra ficar com os pais, fazer novos amigos, ir à praia, ao sítio, à piscina? E que mágicos eram os dias, como eram doces os sorvetes que sua mãe comprava, como era gostoso o fim de tarde pulando amarelinha… Foi nesse clima de nostalgia que a gente pesquisou e relembrou as brincadeiras mais gostosas dos nossos verões da infância. Pequenos rituais que ainda são e sempre vão ser uma delícia. É o que faz valer a pena ser criança, mesmo que hoje a tecnologia tenha mudado bastante o panorama. O leque de opções pode ser maior, o computador com internet realmente não pode ser ignorado ou subestimado. Mas não tem como negar que férias, calor e pouca idade combinam mesmo com muito corre-corre, pés descalços e liberdade pra soltar a imaginação e sonhar.
1 – Fazer Chocalho
Vai ser uma festa só e, com certeza, bem barulhenta. Mas o que seriam dos grandes bateristas e percussionistas se seus pais não os tivesse incentivado na infância?
Material:
– 01 lata de alumínio
– Semente de feijão, milho ou arroz
– Fita adesiva
Encha a lata com as sementes. Feche o buraco da latinha com fita adesiva. Para finalizar é só pintar ou enfeitar a lata com adesivos. Cada semente faz um barulho diferente, assim dá pra formar uma “bandinha” e ainda fazer um luau na praia.

2 – Taco
Esse é bom de brincar na praia, num lugar onde a areia é mais batida. Divida as crianças em dois times, o time com os tacos são os rebatedores e o com a bolinha é dos lançadores. Faça de cada lado uma base (uma latinha vazia de refrigerante, ou qualquer outra coisa que pare de pé ). Com uma bola pequena, o jogador tenta derrubar a base do outro que, com um taco de madeira, defende. Se o rebatedor acertar a bolinha, o lançador do outro time (que jogou a bola) deve correr para pegá-la. Enquanto não pegar a bolinha, os rebatedores correm entre as bases e batem os tacos quando se cruzam. Cada batida vale um ponto. Quando o lançador pega a bolinha, ele pode jogá-la para o parceiro ou tentar acertar um dos rebatedores. Quando um rebatedor é acertado pela bolinha ele é queimado. Quando a base é derrubada ou um jogador é queimado, invertem-se os times. Tem que combinar o número de pontos necessários para ganhar antes de começar o jogo.

3 – Estátua
É só ligar uma música bem animada e as crianças começam a dançar. Quando a música pára e o mestre diz “estátua!”, todas paralisam na posição que estavam. O mestre faz caretas e brincadeiras para ver quem se mexe. Quem rir ou se mexer primeiro vai para o lugar do animador.

4 – Que bicho eu sou?
Cada criança terá colado em suas costas um papel com o nome de um animal, sem que ela saiba qual é. Cada participante pergunta aos outros as características do bicho. As respostas devem ser sim ou não. O último a descobrir sai da brincadeira e passa a colar o nome dos bichos nos vencedores.

5 – Expedição
Essa um adulto deve organizar. A idéia é fazer uma expedição num lugar amplo e com muito verde, ou na praia. O objetivo pode ser encontrar algum objeto ou pista escondida. Faça com que todos saiam com mini-mochilas com água, lanche, bolacha e outros apetrechos. Dê a dica e caminhem bastante até que alguém encontre o objeto escondido. O grande atrativo será fazê-las se sentir num filme de aventura! Isso lhes dará um senso de importância e responsabilidade.

6 – Boca de forno
Um adulto comanda a brincadeira e diz as seguintes frases:
Adulto: Boca de forno
Crianças: Forno
Adulto: Faz o que eu mandar?
Crianças: Faço
Adulto: Se não fizer
Crianças: Toma bolo
Então o adulto manda que as crianças peguem um objeto, e o último a chegar sai da brincadeira.

7 – Piquenique
Essa brincadeira dá pra fazer em qualquer lugar, até na sala de casa. O importante é que todos ajudem a arrumar o cesto, a fazer alguma comidinha, se envolver. É só pegar uma toalha, uma cesta com frutas, suco, bolachinhas, sanduíches e o que as crianças gostarem. Aí é só estender a toalha, espalhar os lanches e se divertir.

8 – Acampamento
Qualquer lugar pode virar um acampamento: o quarto, a sala o quintal. Na sala, basta colocar um lençol grande na mesa de jantar ou do sofá até a mesinha de centro e está feita a barraca. No quintal pode ser mesmo uma barraca de acampamento, das pequenas. Tem também as que são específicas para crianças, de tecido e madeira. Para completar a brincadeira é só levar colchonete, saco de dormir, lanterna, sanduíches e depois de acomodados basta contar histórias antes de dormir.

9 – Quadros de recortes
Não sabe o que fazer com revistas e jornais velhos? Junte a criançada, espalhe as revistas, tesouras e cola no chão. Com uma boa dose de criatividade as crianças recortam as figuras ou palavras cola em uma folha branca formando um quadro. Quando as obras de artes estiverem prontas basta fazer uma exposição pendurando em uma parede ou na porta da geladeira.

10 – Eu vejo…
Uma brincadeira que pode ser feita em qualquer lugar, na praça, shopping ou sentada na praia. A criança escolhida diz, por exemplo: “Vejo uma coisa amarela” ou “Vejo uma coisa grande e fina”. As demais têm que achar o objeto citado e quem tocar primeiro ganha e ai é a vez de falar.

11 – Corrente de histórias
Ótimo para distrair as crianças no carro. O adulto começa com “era uma vez” e passa a vez para outra criança que continua contando e assim a história vai se formando. Prepare-se pra ouvir os maiores absurdos!

12 – Corda humana
Em um lugar espaçoso uma criança caça as outras. Quem ela conseguir pegar fica com ela de mãos dadas e assim vai formando uma corda humana. Somente quem estiver na ponta pode pegar. Conforme a corda fica comprida, fica mais difícil se locomover. Ganha quem for a última a ser tocada.

13 – Pipa
Empinar pipa é uma delícia, observá-la ao sabor do vento… Podem ser feitas competições, por exemplo, de qual vai mais longe. É possível comprá-la pronta, mas fazer é fácil e faz parte da brincadeira. Clique aqui e aprenda! http://www.klickeducacao.com.br:8000/klickids/arte/arte04/arte04a.asp
Mas lembre-se, o melhor lugar para brincar é no sítio, praia ou qualquer lugar bem longe de fios elétricos.

14- Fotografias
Deixe que as crianças se vistam como modelos e libere as maquiagens e acessórios. Depois façam uma seção de fotos em casa, no quintal, no sítio, com o mar ao fundo… Deixe que as crianças fotografarem umas as outras. Depois grave as fotos em um CD e dê para elas levarem de recordação.

15 – História com objetos
Em uma caixa coloque vários objetos. Uma criança começa a contar uma história e então um adulto tira de dentro da caixa um objeto, que a criança tem que incluir na história. De tempo em tempo o adulto vai pegando mais objetos. Vai render histórias muito engraçadas, com certeza.

16 – Peixinhos e tubarões
As crianças são separadas em dois grupos, um de peixinhos e outro de tubarões. Divida o local em duas partes. Ligue uma música baixinha para os peixinhos saírem para passear. Quando tocar uma música alta, é a vez dos tubarões que vão tentar pegar os peixinhos. O peixinho que for pego vira tubarão.

17 – Pega-pega diferente
A brincadeira é a mesma, só que com uma vantagem: a criança que estiver num lugar mais alto que o chão (tijolo, calçada, cerca, muro) não pode ser pego. Quem for pego, é o próximo a ter que pegar.

18 – Pisa na bexiga
Cada criança amarra no calcanhar uma bexiga cheia. Quando a música começa a tocar elas andam pelo espaço, e um tem que tentar estourar a bola do outro com os pés. Ao mesmo tempo em que a criança tenta estourar, ela tem que proteger a sua bola.

19 – Marcha dos jornais
Trace duas linhas no chão com certa distância entre elas. Os participantes devem ficar atrás da linha de partida segurando duas folhas de jornal. Ao sinal de partida, os participantes devem colocar uma das folhas no chão, pisar em cima e colocar a outra em frente da primeira, ao pisarem na 2ª folha devem colocar a 1ª para frente e assim sucessivamente, até chegar na linha de chegada.
Vence o jogo o participante que cruzar primeiro a linha de chegada.

20 – Castelo de Areia
Basta juntar areia úmida e usar a criatividade para fazer torres, corredores e túneis. Quem fizer o castelo maior ou o mais bonito ganha um picolé!

Texto enviado por Sónia Pitxu

Tags from the story
Written By
More from

Bebés não distinguem medo e alegria

Os bebés dos quatro aos oito meses não conseguem diferenciar as expressões...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *