Alemão terá matado amante e a filha bebé

A investigação da polícia alemã e a da Judiciária apontam no mesmo sentido. Gunnar Dorries, de 43 anos, matou no Algarve  a amante, Georgina Zito, e a filha, Alexandra, de apenas ano e meio, que será fruto da relação extraconjugal.

O corpo da mulher, vítima de afogamento, foi encontrado na praia do Canavial, em Lagos, e o paradeiro da criança é desconhecido, o que não abala a convicção dos investigadores.

Segundo o porta-voz do departamento de homicídios da polícia de Munique, “a frieza, crueldade e premeditação na morte da mulher, aliadas a todas as provas recolhidas e à postura do suspeito, que não colabora, não nos deixam qualquer dúvida de que também assassinou a menina”.

No sítio oficial da polícia alemã foram divulgadas fotografias das vítimas e do suspeito e é feito um pedido de ajuda para esclarecer o caso.  Em Portugal corre uma outra investigação a cargo da Polícia Judiciária (PJ) de Portimão. Oficialmente a PJ não faz comentários, mas uma fonte ligada ao processo explica que a tese de duplo homicídio “é a mais provável face aos indícios recolhidos”, recusando adiantar pormenores.

Casada, Georgina engravidou de Gunnar, que não aceitou a criança e a angolana fez queixa em tribunal. Quatro dias depois da chegada a Lagos, a 6 de Junho, a mulher morreu afogada. Gunnar carregou o corpo até ao areal e simulou uma tentativa de reanimação. Com o pretexto de que iria buscar medicamentos, pegou na criança e fugiu.

Três horas depois foi visto a entrar sozinho no hotel onde estavam instalados. Viajou para Lisboa num carro alugado – já inspeccionado pela PJ – e de avião até Munique onde foi detido no dia 15.

Written By
More from

Poluição pode causar infertilidade masculina

Uma pesquisa feita em São Paulo com 900 homens mostra que a...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *