Alimentação no 1º ano de vida

1901

A alimentação do bebé inicia-se com leite, idealmente o leite materno que, como é do conhecimento geral, é o alimento mais completo e adequado às necessidades do lactente.
A diversificação alimentar deve iniciar-se entre o 4-6º mês de vida. Constitui um processo lento e cuidadoso, no sentido de facilitar a adaptação do aparelho digestivo do bebé, que ainda é muito imaturo.


A introdução de novos alimentos possibilita ao bebé o contacto com novos sabores, consistências e odores, ajudando-o a desenvolver novas competências e a relacionar-se com o meio envolvente. Não obstante, prepara a criança para se sentar à mesa com a família por volta dos 12 meses, desde que a alimentação familiar seja equilibrada. A introdução dos novos alimentos pode ser flexível; no entanto, siga as recomendações do médico de família ou do pediatra que acompanha o desenvolvimento do seu bebé.

A partir dos 4 meses é comum iniciar-se uma papa láctea, sem glúten, ao pequeno-almoço ou ao almoço. Poderá iniciar também uma sobremesa de fruta (maçã, pêra ou banana). Evite o uso desmedido de boiões de fruta, uma vez que contêm sacarose, concentrado de sumo de limão, farinha de arroz, entre outros constituintes que conferem um sabor mais apurado, podendo levar o bebé a recusar a fruta natural.

Aos 5 meses:
– 3/4 refeições de leite;
– Uma papa láctea sem glúten;
– Uma sopa de legumes (ao almoço);
– Duas sobremesas de fruta.A novidade consiste na introdução da sopa de legumes.
Poderá preparar a sopa com uma batata pequena, meia cenoura, meia cebola, uma folha de alface e um fio de azeite no final. Introduza um legume novo (abóbora, repolho, bróculos, couve flor, alho francês…) a cada 3-7 dias para dar tempo a que o bebé se adapte aos novos sabores e verificar se ele não faz qualquer tipo de reacção/alergia.

Aos 6 meses:
– leite materno ou adaptado;
– 1 papa láctea com glúten;
– 1 sopa de legumes com carne;
– 2 sobremesas de fruta.
Adicione à sopa de legumes 30g de carne (vitela, borrego, coelho, frango, peru). Na primeira semana, coza a carne e retire-a antes de passar a sopa. Posteriormente passe a carne na sopa.Á fruta poderá adicionar algumas gotas de sumo de laranja.

Aos 7 meses:
– leite materno ou adaptado;
– 1 papa láctea com glúten;
– 1 sopa de legumes com carne (almoço);
– 1 sopa de legumes com peixe (jantar);
– 2 sobremesas de fruta.
Prefira peixes brancos, como a pescada e o linguado que têm menor quantidade de espinhas.

Aos 8 meses: Pode iniciar um iogurte natural com 3-4 bolachas Maria ou torrada que pode substituir ou alternar com a papa.Comece por introduzir a gema de ovo 1-2 vezes por semana. A sopa de peixe pode ser substituída por farinha de pau.

Após os 12 meses:
Poderá introduzir outro tipo de fruta (pêssego, morangos, kiwi…), leguminosas (feijão, grão…), clara do ovo…
Gradualmente habitue o seu bebé a ingerir a dieta alimentar da família, embora com pouco sal e açúcar além de poucos condimentos.

Estudos recomendam os leites adaptados (leites série 3) até a criança completar os 3 anos de vida, embora o leite de vaca ultrapasteurizado possa ser permitido. Evite o uso de leites de crescimento (são muito açucarados e podem provocar obesidade infantil, cáries dentárias).
Lembre-se que o bebé não está habituado a estes novos sabores e consistências.

Tenha paciência durante todo este processo. Ele poderá recusar um alimento quando lhe é oferecido pela 1ª vez e ingeri-lo com satisfação à 2ª ou 3ª vez.

Contribua para o desenvolvimento saudável e harmonioso do seu bebé.

Evite a comida enlatada ou em boiões. Não adicione sal ou açúcar aos alimentos.

Ao seguir estas recomendações estará a promover a médio e a longo prazo a saúde do seu filho.

Fonte: Vânia Coimbra. Bibliografia:Direcção Geral da Saúde. Saúde infantil e juvenil – programa tipo de actuação.

Draª Solange Burri
Licenciada em Microbiologia
Pós-Graduada em Segurança Alimentar
Univ. Católica Porto
Especialistas dobebé

Written By
More from

Erro em espermatozóides do pai afecta QI dos bebés

Os filhos de pais mais velhos são menos inteligentes? Um estudo australiano...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *