Amamentou o filho e o neto

"Cheguei a amamentar o meu filho e o meu neto ao mesmo tempo", conta Leonor Ribeiro e Castro. Tinha 44 anos quando esteve grávida, na mesma altura que uma das filhas mais velhas. Filho e neto nasceram com um mês de diferença.

Os médicos consideram tardia qualquer gravidez a partir dos 40 anos. Os últimos dados nacionais (2007) mostram que houve 2960 bebés nascidos de mulheres entre 40 e os 44 anos no País. Uma tendência que vai diminuindo com a idade: apenas quatro crianças nasceram de mulheres com mais de 50 anos.

Já com filhos casados, netos e depois de dois abortos espontâneos e da morte de uma filha à nascença, Marília Gonçalves, então com 46 anos, resolveu tentar mais uma vez. "Desta última vez estava com muito medo de o perder, estava muito ansiosa porque era uma gravidez de alto risco", confessa. O bebé nasceu saudável.

Ana Gala engravidou pela 12.ª vez aos 45 anos. "Notei apenas que andava mais cansada. Mas a relação com a criança é muito mais madura e gratificante", finaliza.

"Parece estar na moda ter filhos depois dos 40. Ou porque a mulher inicia uma segunda relação e quer ter filhos com essa pessoa ou porque nunca teve e agora tem disponibilidade para tal", constata Jorge Branco, director da Maternidade Alfredo da Costa (MAC).

Teresa Rosa, de 45 anos, faz parte das estatísticas da MAC deste ano. O primeiro filho nasceu no passado dia 9 de Maio, às 35 semanas de gestação e de cesariana, fruto de uma segunda relação. "Vomitava imenso nos últimos tempos e estava com muito receio: era o tudo ou nada. Mas no final acabou por correr tudo bem", conta.

"Cada vez mais as mulheres querem ter filhos só quando tiverem qualidade de vida para o fazer. E isso implica adiar a maternidade para uma altura em que se tem melhores condições de emprego, por exemplo", defende o sociólogo Duarte Vilar.

Maria Gabriela Pousada foi adiando os filhos por questões profissionais até que, aos 45 anos, teve de fazer uma inseminação artificial. "Estava consciente dos riscos que estava a correr, mas decidi fazer na mesma. Fui seguida de uma forma muito apertada e criteriosa", conta, acrescentando: "Como estava com medo que o bebé nascesse com anomalias fiz o teste de amniocentese (teste pré-natal para despistar doenças). Mas estava tudo bem."

Maria tinha a idade limite. A maioria das clínicas privadas em Portugal não aceita pacientes com mais de 45 anos e nos hospitais públicos a idade máxima é os 39. "Quando a inseminação não resulta porque já não há capacidade dos ovócitos, recorre-se então à doação. Os embriões são depois injectados no útero", explica a obstetra Daniela Sobral.

in DN

 

Written By
More from

Bruxelas propõe aumento da licença

 Bruxelas propõe um  aumento da licença de maternidade de 14 para 18...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *