Amamentou o filho e o neto

"Cheguei a amamentar o meu filho e o meu neto ao mesmo tempo", conta Leonor Ribeiro e Castro. Tinha 44 anos quando esteve grávida, na mesma altura que uma das filhas mais velhas. Filho e neto nasceram com um mês de diferença.

Os médicos consideram tardia qualquer gravidez a partir dos 40 anos. Os últimos dados nacionais (2007) mostram que houve 2960 bebés nascidos de mulheres entre 40 e os 44 anos no País. Uma tendência que vai diminuindo com a idade: apenas quatro crianças nasceram de mulheres com mais de 50 anos.

Já com filhos casados, netos e depois de dois abortos espontâneos e da morte de uma filha à nascença, Marília Gonçalves, então com 46 anos, resolveu tentar mais uma vez. "Desta última vez estava com muito medo de o perder, estava muito ansiosa porque era uma gravidez de alto risco", confessa. O bebé nasceu saudável.

Ana Gala engravidou pela 12.ª vez aos 45 anos. "Notei apenas que andava mais cansada. Mas a relação com a criança é muito mais madura e gratificante", finaliza.

"Parece estar na moda ter filhos depois dos 40. Ou porque a mulher inicia uma segunda relação e quer ter filhos com essa pessoa ou porque nunca teve e agora tem disponibilidade para tal", constata Jorge Branco, director da Maternidade Alfredo da Costa (MAC).

Teresa Rosa, de 45 anos, faz parte das estatísticas da MAC deste ano. O primeiro filho nasceu no passado dia 9 de Maio, às 35 semanas de gestação e de cesariana, fruto de uma segunda relação. "Vomitava imenso nos últimos tempos e estava com muito receio: era o tudo ou nada. Mas no final acabou por correr tudo bem", conta.

"Cada vez mais as mulheres querem ter filhos só quando tiverem qualidade de vida para o fazer. E isso implica adiar a maternidade para uma altura em que se tem melhores condições de emprego, por exemplo", defende o sociólogo Duarte Vilar.

Maria Gabriela Pousada foi adiando os filhos por questões profissionais até que, aos 45 anos, teve de fazer uma inseminação artificial. "Estava consciente dos riscos que estava a correr, mas decidi fazer na mesma. Fui seguida de uma forma muito apertada e criteriosa", conta, acrescentando: "Como estava com medo que o bebé nascesse com anomalias fiz o teste de amniocentese (teste pré-natal para despistar doenças). Mas estava tudo bem."

Maria tinha a idade limite. A maioria das clínicas privadas em Portugal não aceita pacientes com mais de 45 anos e nos hospitais públicos a idade máxima é os 39. "Quando a inseminação não resulta porque já não há capacidade dos ovócitos, recorre-se então à doação. Os embriões são depois injectados no útero", explica a obstetra Daniela Sobral.

in DN

 

Written By
More from

Um anjo…

Olá, esta história que aqui vou contar não é para entristecer as...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *