Crianças 3-11 anos

As peladas nas crianças

As peladas nas crianças
do Bebé

As alopécias, ou perdas de cabelo, podem ser cicatriciais (irreversíveis) ou não cicatriciais. As causas frequentes de alopécia não cicatricial na infância são a alopécia areata e a tinha do couro cabeludo. A tricotilomania pode confundir-se com as anteriores, pelo que também importa considerá-la.
Alopécia areata
Consiste numa doença caracterizada pelo aparecimento súbito de uma ou mais áreas desprovidas de cabelo, circulares ou ovaladas, bem delimitadas, de dimensões variáveis, de superfície lisa e regular, sem alteração visível da superfície cutânea afectada. Atinge 0,1 a 0,2% da população de todas as idades, mas sobretudo o adolescente e adulto jovem (até 50% antes dos 16 anos). Um em cada 5 doentes tem ou teve um familiar afectado. É uma doença auto-imune, em que as células do próprio sistema imunitário atacam e destroem o folículo piloso. Pode estar associada a outras doenças auto-imunes, sobretudo em familiares. Problemas emocionais podem precipitar as lesões. As lesões podem ser únicas, múltiplas, generalizadas a todo o couro cabeludo (alopécia total) ou a toda a superfície da pele (alopécia universal). Na periferia da pelada observam-se cabelos partidos característicos, designados cabelos em ponto de exclamação. Em cerca de 20% há alterações das unhas. Evolução e tratamento da Alopécia areata. A evolução desta doença é variável e imprevisível. Podem surgir novas áreas de pelada ao longo de meses.Quando existem poucas lesões, o prognóstico é favorável, com resolução completa ao fim de 1 ano em 95% dos casos. No entanto, as recorrências são frequentes. São factores de mau prognóstico o início precoce (antes da puberdade), a multiplicidade ou grande extensão das lesões, a alopécia total, as alterações das unhas e uma evolução superior a 1 ano. O tratamento controla as lesões, mas não impede o aparecimento de novas peladas. Atendendo à elevada percentagem de remissão espontânea, alguns autores defendem a abstenção de tratamento nos casos limitados. Nas crianças, a terapêutica mais frequente consiste na aplicação de tópicos (cremes, pomadas, loções). A terapêutica sistémica está reservada para os casos graves ou rapidamente progressivos.

Drª Carolina Gouveia, Clínica Universitária de Dermatologia, Hospital de Santa Maria, Lisboa

Click to add a comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Crianças 3-11 anos
do Bebé

More in Crianças 3-11 anos

bebe doente 2973

Como posso ajudar o meu filho quando está doente?

comer cereais 0283

Benefícios dos cereais integrais na alimentação do seu filho.

vitamina c não previne constipações

Vitamina C não previne constipações

corantes alimentares e hiperactividade

Corantes aumentam os níveis de hiperactividade

crianças alimentacao 947

Sal na alimentação

serty

Regras para quando existe uma separação

bebe_desenho_crianca

Desenho Infantil

bebesdf

Terror nocturno

Parceiros:
contacto: info@dobebe.com

Copyright © 2016 doBebe.com.