Atropelou bebé sem se aperceber

Um bebé de 22 meses estava ontemterça-feira, internado nos Cuidados Intensivos do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, em estado "muito grave", após ter sido atropelado num olival, enquanto os pais apanhavam azeitona.

Segundo fonte da GNR, o acidente ocorreu anteontem em Beringel, concelho de Beja, entre as 12 e 13 horas, altura em que o proprietário do olival se deslocou ao seu terreno, conduzindo uma carrinha de caixa aberta, para se inteirar dos trabalhos de apanha da azeitona, que estavam ao cuidado de elementos de uma comunidade cigana, que, por altura da campanha, residem naquela localidade, em casa de familiares.

Segundo os dados apurados junto do Comando Territorial de Beja da GNR, o bebé terá ficado deitado junto ao solo e enrolado em agasalhos para protecção do frio, não tendo o proprietário da herdade dado conta da sua presença, quando abandonava o olival. Terá sido nessa altura que, presumívelmente, ocorreu o atropelamento, o que, segundo o major José Candeias, porta-voz da GNR, explica a razão por que o homem terá abandonado o local sem dar conta do sucedido.

Os factos chegaram ao conhecimento dos militares da GNR do posto de Beringel cerca das 15 horas, através do alerta de familiares do bebé, depois dos pais o terem transportado para o hospital de Beja. A criança deu entrada "em paragem respiratória", tendo sido submetida a uma TAC. Foi-lhe diagnosticado um "traumatismo crânio-encefálico", e apesar das "manobras de reanimação não recuperou do coma", adiantou ao JN fonte hospitalar. Face ao estado "muito grave", a criança foi transportada para o Hospital de Santa Maria, onde, segundo foi possível apurar, ontem, ao final do dia, ainda se encontra va internada com "prognóstico muito reservado". A unidade recusou, porém, adiantar qualquer esclarecimento sobre a evolução do estado de saúde da menina, alegando tratar-se de uma menor e não haver autorização dos pais.

Os militares dirigiram-se posteriormente à propriedade onde ocorreu o atropelamento, militares dos Núcleos de Apoio Técnico, e Investigação Criminal Territorial e de Trânsito, para "fazerem peritagens na viatura e ouvirem os envolvidos", explicou ao JN, o porta-voz da GNR.

O proprietário agrícola reside em Beringel e é professor de Educação Física. Ontem, tal como a mulher, igualmente docente numa escola de Beja, estiveram ausentes, situação que, segundo foi possível apurar, se irá manter até final da próxima semana, uma vez que o condutor ficou muito abalado com o sucedido.

in Jn.sapo.pt

Written By
More from

Educar sem Gritar

Grita com o seu filho com frequência e por qualquer motivo? Acredita...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *