AUMENTO DOS NÍVEIS DE PÓLEN FAZ DISPARAR SINTOMAS ALÉRGICOS EM PORTUGAL

alergias

alergiasNa sequência do aviso emitido pela Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia (SPAI) sobre o aumento dos níveis de pólen no ar durante os próximos dias, o Centro de Terapias Chinesas (CTC) alerta os portugueses para a importância da procura de abordagens diferentes no tratamento das crianças que sofram de alergias, mais afetadas nesta altura. O recurso contínuo ao mesmo tipo de medicação, procurada sobretudo nos casos de dificuldades respiratórias, pode trazer efeitos secundários inesperados a longo prazo.

 

Um terço das crianças portuguesas são atualmente afetadas com quadros alérgicos que comportam patologias diversas como a dermatite, rinite, sinusite e bronquite,condicionando o seu desempenho diário, sobretudo por se encontrarem em idade escolar.  Para estes casos, de tendência crónica, a Medicina Tradicional Chinesa recomenda um tratamento da causa e não do sintoma, evitando-se o uso já banalizado de medicamentos agressivos e com efeitos indesejados: “Não vamos tratar a alergia de uma criança, mas a criança que tem alergia. Por isso mesmo, queremos que todo o seu organismo esteja saudável, e não apenas combater a patologia em causa”, começa por exemplificar Wenqian Chen, à frente do CTC há mais de 20 anos.

Face a estes quadros clínicos, a medicina ocidental procura uma abordagem farmacológica cujo efeito é, geralmente, o de inibição da reação alérgica através de uma supressão temporária dos sintomas. “Embora muitos remédios ocidentais tenham bons resultados no tratamento dos sintomas, a verdade é que não resolvem o problema de forma definitiva, além de possuírem frequentemente efeitos secundários desagradáveis como sonolência e habituação. Por outro lado, tendem ainda a recomendar que se evite o contacto com as substâncias que causam a reação alérgica e a proceder à sua dessensibilização fazendo o sistema imunológico habituar-se gradualmente ao agente que provoca o sintoma o que, sobretudo para as crianças, corresponde a uma qualidade de vida diminuída”, comenta a diretora do CTC.

 
Já de acordo com a medicina tradicional chinesa, a alergia é encarada como um desequilíbrio da energia defensiva (Wei Qi), equiparável ao sistema imunitário, e que está, muitas vezes, ligada a deficiências energéticas noutros órgãos, sobretudo Fígado e Pulmão. Apesar de cada diagnóstico ser diferente, o tratamento mais frequentemente indicado no CTC é feito com base num protocolo de acupuntura, reconhecida pela Organização Mundial de Saúde pela sua eficácia no tratamento das alergias, cujo objetivo é acalmar e  aliviar os sintomas de forma mais imediata. Numa segunda fase, a fitoterapia é o caminho indicado. Este tipo de tratamentos, reforça Wenqian Chen, têm um índice de sucesso de mais de 60% em crianças e 40% em adultos.

Written By
More from

Saúde infantil em manual para mães emigrantes

Está a ser lançado, a nível nacional, o primeiro manual de saúde...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *