Bebés obrigados a picarem o ponto

Há incongruências que nos deixam de boca aberta, e que explicam, mais do que mil discursos de um analista político ou económico, o porquê de tantas vezes não sairmos da cepa torta. Na sequência de um texto em que falava sobre o excesso de horas passadas pelas crianças nas creches e jardins de infância, recebi mails, cartas e comentários de mães à beira de um ataque de nervos.

Nem podiam estar de outro modo, divididas entre o desejo de ficarem com os seus bebés e horários de trabalho disparatados, a precariedade dos recibos verdes e a necessidade de dois empregos para pagar as contas. Como dizia uma mãe, enquanto houver políticos que, como aconteceu este ano na campanha autárquica em Almada, que fazem cartazes a dizer que o futuro está em escolas abertas das 8h30 às 7 da tarde, em vez de reclamarem mais tempo para os pais estarem com os filhos, não vamos longe.

Mas a notícia do cúmulo dos cúmulos chegou-me por um mail de uma grávida de quatro meses, que pretende ficar em casa até ao final do primeiro ano do filho. Apesar de ainda ser cedo, deu uma volta por uma série de creches, para descobrir, com horror, que a admissão ali só se podia fazer «no início do ano lectivo». Ou seja, é possível que uma mãe tenha de colocar a criança na creche antes mesmo de expirar a sua licença de maternidade, ou em alternativa se veja obrigada a inventar uma solução de guarda até Setembro do ano seguinte.

Da mesma forma, há creches e jardins de infância que exigem que a criança entre às 9 da manhã, mesmo quando os pais têm a possibilidade de estar com ela mais um bocadinho e de só a levar mais tarde. Ou será que se teme que o bebé, se entrar «fora de horas», já não seja capaz de acompanhar o «programa académico», fazendo baixar a creche no ranking? De facto, quando as organizações não são feitas em função das pessoas, o resultado é este.
 

in Destak.pt

Written By
More from

China investiga caso de bebês ‘com seios’ em novo escândalo do leite

As autoridades da China investigam um novo escândalo envolvendo leite em pó...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *