Casal inventa calças para crianças com displasia

Um casal de Pombal inventou umas calças com características ortopédicas, para crianças com um problema de anca, uma doença rara que é provocada por uma anomalia nos elementos de sustentação da articulação da anca e que provoca o deslocamento da cabeça do fémur para uma posição mais ou menos afastada da cavidade cotilóide.
 
Ou seja, as crianças sofrem de dificuldades de locomoção, por apresentarem as pernas demasiado abertas.
Apesar de atingir uma taxa baixa de crianças, nascem muitos milhares de crianças todos os anos com esta doença.
Números elevados que "se pretende combater graças à criação das calças", explica Paulo Nogueira, o criador das calças.
Permitindo que tenham maior liberdade de movimentos, as calças visam minimizar a dificuldade de vestir uma criança que está a usar aparelhos ou gesso. "Este modelo de calças é único, pois há uma inovação no desenho", explica ao nosso jornal, orgulhoso por divulgar o projecto. "O modelo de calças que criei – já registado – não limita a liberdade de movimentos do bebé, possibilitando mudar a fralda sem ter de o despir. Permite ainda ajustar a cintura ao tamanho da criança e vestir a calça com as pernas abertas", conta.
O projecto, acrescenta, pretende "melhorar um pouco a qualidade de vida dos pais e filhos que passam por toda esta situação".
"Esta ideia foi baseada em experiência própria", afirma Paulo Nogueira, que, juntamente com a sua esposa, Sandra Maria Santos, desenvolveram as calças ortopédicas, a pensar na doença que atinge a própria filha, mas que resolveram divulgar. No sítio www.hip-babyfashion.com, o casal explica o quanto doloroso é ver o seu filho a sofrer com os tratamentos. "As emoções e os sentimentos que nós, pais de uma criança com displasia, sentimos ao saber como vai ser o tratamento do nosso filho são indescritíveis", sublinha Paulo Nogueira. "Quando a minha pequena Íris iniciou o tratamento da LCA (Luxação Congénita da Anca) aos dois meses de idade, foi como um pesadelo. Primeiro o internamento no hospital, depois o gesso e depois as talas. Aos seis meses teve de repetir novamente todo o tratamento", conta Sandra Santos.
"Além de não poder ver a minha menina a movimentar-se como os outros bebés também não a podia vestir como queria. A única solução foi criar roupa para ela", confessa, por seu turno, a mãe.
Com o lema ‘Porque todas as crianças têm o direito de ser "Fashion"!’, Paulo Nogueira salienta que "as calças são feitas por encomenda no sítio (Internet), uma vez que têm que ser à medida".
Com esperança de uma maior divulgação graças aos meios de comunicação social, Paulo Nogueira considera "o projecto interessante", visto que pode ajudar milhares de crianças. "Por isso criámos um site que pretende ser uma ajuda para todos os pais cujos filhos têm displasia da anca e têm dificuldade em vestir confortavelmente os seus bebés", conclui Sandra Santos.

in DL

Written By
More from

Shakira sobre gravidez: ‘”tem vezes que penso que são dois na barriga”

Aos 37 anos e grávida pela segunda vez, Shakira não esconde seu...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *