Eczema Atópico : 10 dicas para viver melhor

eczema

 O Eczema Atópico (EA) é uma patologia crónica da pele, caracterizada por comichão, inflamação, pele áspera e seca. Surge, normalmente, no primeiro ano de vida e, a nível mundial, afecta 1 em cada 5 crianças, sendo que a prevalência tem duplicado nos últimos 30 anos.

 Em Portugal, cerca de 10% das crianças sofrem desta doença. Os pais têm, normalmente, muita dificuldade em perceber qual a melhor forma de ajudar os seus filhos a lidar com o problema. Para dar resposta a essa necessidade, a Astellas Pharma, com o apoio de um grupo de dermatologistas internacionais, criou uma lista de dez conselhos-chave:
1) Fazer um “Diário da Doença” em que se registam todas as crises. Dessa forma, conseguem-se estabelecer padrões de relação com os factores que são desencadeadores da doença e prevenir;

2) Informar os professores da doença e fornecer uma lista de substâncias ou actividades que o (a) seu (sua) filho (a) deve evitar para não despoletar uma crise de EA;
3) Evitar roupa apertada e áspera. Lã e alguns tecidos sintéticos podem causar irritação da pele. As etiquetas também costumam ser um motivo de desconforto para os doentes com EA e devem ser removidas;
4) Envolver a criança no processo de prevenção e tratamento. Ensiná-la do que deve evitar e o que tem sempre de fazer para, mais tarde, não sofrer de uma crise;
5) Manter as unhas das crianças curtas, pois se não conseguirem evitar coçar, os danos causados serão menores;
6) Pensar de forma sazonal. O ar condicionado, no Verão, pode “secar” mais a pele, tal como o aquecimento excessivo, no Inverno. É importante tentar manter uma temperatura constante nas divisões da casa;
7) Hidratar, hidratar e hidratar. É fundamental que a pele da criança esteja constantemente hidratada, para evitar que fique “seca” e com “escamas”. É aconselhável levar para a escola um hidratante para que possa aplicar sempre que sinta a pele a desidratar;
8) Atenção à alimentação. Em 10% dos casos há alimentos que funcionam como desencadeadores do EA. Leite, ovos, citrinos, amendoins e chocolate são os mais comuns. Identificar e evitar os alimentos desencadeadores pode ser “meio caminho” para o sucesso;
9) Eternizar o “ritual” do banho diário. É das medidas mais recomendadas para as crianças com EA. A temperatura da água deve ser tépida e a casa-de-banho não deve estar muito aquecida. O banho não deve ultrapassar 20 minutos e o duche é mais aconselhável.
10) Obter o tratamento “certo”. Não há cura para o EA e as terapêuticas actuais actuam sobre os sintomas. Assim, é fundamental que, em conjunto com o médico, decidam qual o tratamento mais adequado para a sua criança. 

 

Tags from the story
Written By
More from

Alimentação infantil

Talvez por excesso de zelo ou falta de informação, muitas familias acabam por criar...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *