Excesso de vitamina E na gravidez prejudica o feto

O consumo excessivo de vitamina E durante a gravidez pode aumentar o risco de o bebé nascer com um defeito congénito no coração, concluiu um estudo holandês publicado na revista BJOG: An International Journal of Obstetrics and Gynaecology, noticia o site Tribuna Médica Press.

Para este trabalho, os cientistas analisaram 276 mães de crianças nascidas com estes problemas e 324 parturientes que deram à luz bebés saudáveis.

Os dados recolhidos permitiram concluir que a probabilidade de um recém-nascido nascer com defeito congénito no coração é 70% superior naqueles cujas mães consumiram as doses mais elevadas de vitamina E.

Os especialistas verificaram ainda que o consumo, na dieta diária, de grandes quantidade de vitamina E aliado à ingestão de suplementos que contêm esta substância aumentava entre cinco a nove vezes a probabilidade de defeitos congénitos no coração.

Os investigadores explicam que este tipo de regime pode desequilibrar o estado oxidante/antioxidante dos tecidos embrionários. Outros possíveis mecanismos para os efeitos adversos do elevada ingestão de vitamina E incluem a modificação de genes envolvidos no desenvolvimento embrionário do coração e a inibição das enzimas celulares relacionadas com a eliminação das toxinas naturais do corpo.

Written By
More from

Um bebé e três pais biológicos – fertilização in vitro

Numa votação sem precedentes, os deputados do Parlamento britânico votaram esta terça-feira...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *