As fontanelas dos bebés

fontanelas

A palavra mais utilizada para chamar a esta parte da cabeça do bebé é a moleirinha, mas o termo ciêntifico será fontanela.  Esse é um local todo ele envolto em mitos, onde os pais mais evitam tocar porque o consideram frágil e muito mole. Ao contrário do que se pensa essa  zona pode ser tocada, mas não a pressione, pois não provocará dor nem qualquer tipo de alterações no recém-nascido.
A fontanela é uma zona membranosa que  fica localizada entre os ossos do crânio do recém-nascido. São quatro as fontanelas: a mastóide, esfenoidal, anterior e posterior. São elas que facilitam a saida do seu bebé pelo canal vaginal e  o crescimento do cérebro.
Vai notar pelo menos até aos dois anos, o espaço das fontanelas, mas ele  vai-se  solidificando devido à ossificação, formando quatro suturas. A ossificação consiste no crescimento e união dos ossos.

Não se assuste pois o parto através da vagina pode provocar uma pequena deformidade no crânio do bebé, devido aos ossos se sobreporem para permitir o parto. A cabeça também pode parecer grande em relação ao resto do corpo. Estas situações tendem a normalizar passado uma a duas semanas.
A cabeça do recém-nascido mede 35 cm, aos 6 meses já medirá 44cm e ao fim de um ano 47cm. Se notar uma grande variação deverá consultar um médico.A cara em algumas situações também pode apresentar uma assimetria devido à pressão sofrida durante o parto. Passado algumas semanas também normaliza, mas são situações que requerem vigilância.

A fontanela é firme e ligeiramente côncava. O médico pode diagnosticar uma desidratação (falta de água no organismo) no bebé se a fontanela apresentar uma depressão mais acentuada.
Se estiver elevada, pode ser indicador de tensão no bebé ou de doença. A fontanela também pode estar elevada após o bebé vomitar ou chorar forte, sendo esta uma situação normal.
Se as fontanelas fecharem antes do tempo, o cérebro fica sem espaço para crescer. Esta situação, denominada de cranioestenose, pode causar lesões neurológicas graves, hipertensão intracraniana e deformidade no crânio e face. A origem pode ser uma infecção, factores hereditários ou intra-uterinos ou medicação que a mãe tomou enquanto grávida.
Na consulta de rotina o médico consegue fazer o diagnóstico ao verificar com os seus dedos que a fontanela fechou antes do tempo certo. Pode recorrer a meios complementares de diagnóstico como o RX e a TAC, para confirmar se houve mal formação nos ossos da face e do sistema nervoso.
O tratamento é feito com uma cirurgia, de forma a proporcionar espaços para o cérebro se poder desenvolver e corrigir alterações. Desta forma minimiza-se as sequelas existentes e previne-se novas. O sucesso depende principalmente do diagnóstico e intervenção precoce.
Esta zona é sentida pelos pais se pressionarem com muito cuidado a moleira. Deve haver um cuidado especial nesta zona porque ainda não ocorreu a ossificação.

Texto enviado por Enfermeira Mariana Trancoso

 

Tags from the story
Written By
More from

Mais um cd do Avô Cantigas

Finalmente chegou a tão aguardada compilação de êxitos do Avô mais popular...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *