Meio milhão não resiste a complicações de gravidez

Morrer no parto ou como consequência de complicações associadas à gravidez é um risco 300 vezes superior para as mulheres que vivem nos países em vias de desenvolvimento.
O risco partilhado pelos bebés, que apresentam 14 vezes mais probabilidade de morrer no primeiro mês de vida se vierem ao Mundo em nações menos desenvolvidas.

Os números, apresentados hoje em Joanesburgo, integram o relatório da UNICEF sobre A Situação Mundial da Infância 2009 e revelam a importância de intervenções médicas como as visitas pós–natais, a adopção de práticas de higiene adequadas e o acesso a aconselhamento sobre os sinais de alerta, capazes de salvar as mães e proteger a vida dos bebés.

A UNICEF aproveita ainda para apelar à redução do fosso que separa os países ricos dos mais carenciados, responsável pela morte, todos os anos, de mais de meio milhão de mulheres em consequência de complicações associadas à gravidez e ao parto.

in Destak

Written By
More from

Gravidez e maternidade com novas respostas ao nível do bem-estar

A assistência na gravidez e o acompanhamento pós-parto são vertentes dos cuidados...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *