Menos de 5% guardam cordão

De acordo com dados internacionais, anualmente ocorrem na Europa cerca de 5,4 milhões de partos. Contudo, serão menos de 5% os bebés que têm o tecido do seu cordão umbilical recolhido e criopreservado. Dados que têm levado várias empresas do sector a unir-se e a procurar sensibilizar para a importância de criopreservar as células estaminais. Até porque estas, dizem, já são utilizadas com sucesso no tratamento de quase uma centena de doenças. No entanto, a criopreservação do tecido do cordão umbilical não tem sido consensual no mundo científico e várias vozes têm alertado para a quase inutilidade de um procedimento considerado demasiado caro – poderá chegar aos mil euros para uma criopreservação durante 20 anos – em comparação com uma taxa de sucesso e de utilização considerada reduzida.

in DN

Written By
More from

Bisfenol A cuidado com o seu bebé!

O BPA é um composto utilizado no fabrico do policarbonato, que é...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *