Miomas e infertlidade?

mioma.jpg

Aproximadamente 80% das mulheres irão conviver com os miomas, mas a maioria delas nem sequer  vai desconfiar que tem este  problema por  falta de sintomas!

mioma.jpg

Essas estruturas, na maior parte das vezes são milimétricas, tumores benignos que se instalam ao redor do útero – raramente no interior do órgão, uma vez que precisam de músculo para crescer. Quando dão sinais – alteração do volume menstrual com maior sangramento e dor pélvica – na porção inferior do abdómen – e aumento do volume da barriga, isso ocorre em 45% das mulheres na fase reprodutiva, às vezes, em idades limítrofes para gerar filhos.

O adiamento da gravidez para a faixa etária dos 40 anos, uma realidade que bate à porta das clínicas ginecológicas nas últimas décadas, também coincide com o período mais freqüente do aparecimento desses sintomas e, portanto, de descoberta de um ou mais miomas. Os miomas não são tumores pré-cancerígenos. O cancro do útero apresenta características semelhantes ao mioma, mas aparece em menos de 1% das mulheres. É incorreto dizer que todos os miomas podem evoluir para um cancro.

O tratamento do mioma é determinado pelo médico de acordo com o diagnóstico, entre eles o tamanho do mioma, a quantidade, a sua localização no útero, a idade da paciente, os seus planos em relação à maternidade, entre outros aspectos. Mas o objectivo deve ser sempre a intervenção menos invasiva e com menos efeitos colaterais. A prioridade deve ser sempre pela preservação da cavidade uterina, até porque as mulheres estão a ter filhos cada vez mais tarde.

Não é verdade que a presença de miomas obrigue necessariamente a retirarem o útero da mulher. Há técnicas que asseguram bons resultados no tratamento dos miomas com o mínimo de invasão e agressividade. Mas, dependendo do caso, se houver necessidade de remoção do útero, terá que ser uma decisão partilhada entre o médico e a sua paciente. Independentemente da remoção ou não do órgão, os miomas podem ser uma das causas de infertilidade, por dificultarem a fixação do embrião no interior do útero. Isoladamente, o mioma causa infertilidade em 5% dos casos. Mas esse índice pode chegar a 15% quando associado a fatores tubários – como lesões ou obstruções das tubas (trompas de Falópio) – e à endometriose.
{mosgoogle left}

 

Written By
More from

Obstipação nos bebés

Se as dejecções do seu filho se tornarem pouco frequentes, ou seja...
Read More

1 Comment

  • Obrigada pelo incentivo. Pee7o muito a Deus que tire essa adedsnaie da minha vida. Mas, te1 muito difedcil mesmo. Tenho muitos sonhos estando gre1vida, tendo um bebea. Meu esposo fica arrasado, pois o problema e9 nele. Hoje faz, faz 15 dias que recebi um HCG negativo. E o pior, que estou com sedndrome do pe2nico.Um abrae7o

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *