Os riscos da gravidez em zonas poluídas

Os níveis da poluição atmosférica são responsáveis por alterações pulmonares nos feto, conclui um estudo suíço apresentado esta semama em Berlim, citado pela agência Efe.

Os cientistas pensavam que a poluição só podia prejudicar os pulmões infantis em idade escolar, mas agora veio a comprovar-se alterações pulmonares quando a mãe respira elevadas concentrações de partículas em suspensão.

Também um cientista da Universidade de Berna, na Suíça, investigou a relação entre a poluição atmosférica e os problemas pulmonares no caso de 241 recém-nascidos.

Poluição: quatro mil mortes prematuras em Portugal

Philipp Latzin chegou à conclusão de que os filhos daquelas mães que tinham respirado ar com elevadas concentrações de partículas em suspensão mostravam alterações respiratórias.

Os filhos de mulheres que vivem junto a estradas com muito tráfego respirariam mais rapidamente – 48 vezes por minuto. Este estudo conclui assim que os bebés cujas mães respiraram ar muito poluido no último trimestre da gravidez sofriam mais infecções nas vias respiratórias do que os outros.

in: diario.iol.pt

Written By
More from

Fazem-se quatro testes de paternidade por dia em Portugal

Ao Instituto Nacional de Medicina Legal chegaram, em 2008, 1547 pedidos de...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *