Primeiro bebé proveta do interior do país nasce em 2010

O Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB) vai criar este ano um centro de procriação medicamente assistida e o primeiro «bebé proveta» do interior do país deverá nascer em 2010, adiantou à Agência Lusa o presidente da instituição.
«É um dos próximos desafios que temos pela frente», referiu João Casteleiro, à margem do nono aniversário do CHCB.

«O Governo decidiu criar a valência, que até agora só existe nos grandes centros», realçou. O CHCB já tem sinalizadas «centenas de pessoas» com problemas de fertilidade e que segundo aquele responsável «já vão beneficiar desta medida».

Para justificar a iniciativa, João Casteleiro recorda os trabalhos feitos pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade da Beira Interior, concluindo que «existem pelo menos 1311 mulheres, entre os 30 e 50 anos de idade, casadas, sem filhos e com problemas de fertilidade», nos distritos de Castelo Branco e Guarda.

Ate à implantação no útero de um óvulo fecundado – o que deverá acontecer pela primeira vez no CHCB ainda este ano -, são feitas várias consultas que obrigam qualquer beirã a uma deslocação mínima de 200 quilómetros, viagem de ida e volta, até um centro mais próximo, em Coimbra.

Para que o serviço comece a trabalhar, faltam obras e dar formação à equipa. «Vão ser profissionais da casa e um especialista que vem do exterior» para constituir um grupo qualificado de meia-dúzia de pessoas, intimamente ligado aos serviços de ginecologia e obstetrícia.

«Se a equipa estiver a funcionar em Março ou Abril, seria óptimo», conclui João Casteleiro.

O Centro Hospitalar da Cova da Beira está a celebrar o novo aniversário. Em 2000, o Hospital da Covilhã deixava instalações centenárias e sem condições, para se mudar para um espaço moderno, que hoje está lado-a-lado com a Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior.

«Sem boas condições de trabalho, é muito mais difícil captar profissionais, em especial para o interior», referiu João Casteleiro. Em 2000, o CHCB tinha 70 médicos, hoje conta com 140.

O presidente do CHCB refere que as melhorias estão reflectidas nos números da produção hospitalar.

«Entre 2000 e o último ano, passámos de 56 mil para 135 mil consultas, um aumento de 141 por cento. O número de intervenções cirúrgicas cresceu de 2200 para 3500, ou seja, subiu cerca de 60 por cento», exemplificou.

Diário Digital / Lusa

Written By
More from

A placenta

O seu bebé jamais poderá sobreviver se não estiver dentro da sua...
Read More

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *